20.8.07

NMC - Creativity Matters


Na madrugada de 19 de Agosto, finalmente tive oportunidade de assistir a uma das conferências do Symposium of Creativity in Second Life, no anfiteatro do New Media Consortium.
Com o claimCreativity Matters” como fundo, Desideria Stockton (Beth Ritter-Guth da Leigh Carbon Community College na Pennsylvania) deu início à discussão, por entre algum “ruído” de mensagens no chat e no sistema de voz (com o Skype a falhar permanentemente ;) Aqui fica um resumo adaptado (mesmo muito resumo) com algumas das ideias discutidas:

Desideria Stockton: queremos fechar o dia (noite) com uma reflexão sobre a sua implicação (da criatividade) na educação…
Lorelie Junot da Infor Island, Jokay Wollongong de Wollongong na Austrália, Ann Enigma (a raínha de Virtual Morocco) da Wales and Jonhson University em Rhode Island, e Troy McLuhan (o tipo mais cool do Spaceflight Museum) estão entre nós, e a eles dou a palavra...

Lorelei Junot: Quando penso em Criatividade, um dos locais de que me lembro é sempre Second Life, e o New Media Consortium. A Criatividade é uma das fortes componentes de Second Life e dá oportunidade às pessoas de agirem criativamente enquanto indivíduo e enquanto colectivo. Second Life é um local onde podemos fazer acontecer praticamente qualquer coisa, e as únicas limitações são a imaginação ou a técnica. Cada um tem os seus objectivos e limitações e a sua criatividade. Na Info Island temos uma série de bibliotecários que acrescentam voluntariamente serviços que podemos fornecer. Isso permite disponibilizar aos professores novas ferramentas de ensino, novas possibilidades, e aos alunos “viver” aquilo que aprendem. Para além das aulas “tradicionais”, Second Life oferece aos alunos a possibilidade de experimentar. Quando falamos de criatividade colectiva, é porque, através de Second Life, temos oportunidade de conhecer gente que nunca conheceríamos de outra forma, e com os quais podemos partilhar ideias, experiências e sabedoria. (…) Esta conferência é uma ideia criativa que permite às pessoas partilhar criatividade ;)

Jokay Wollongong: Tenho trabalhado em orientação vocacional na Austrália, apoiando os professors interessados em utilizar Second Life. Pessoalmente, Second Life deu-me novas energias e permitiu-me encontrar uma forma de estar mais criativa que me fortalece. Com os docentes com quem trabalho, constato uma excitação e uma energia para explorar modelos de ensino centrados nos alunos que potenciam a criatividade e o prazer de participar no ambiente educativo.

Ann Enigma: Pensar em criatividade em Second Life faz-me pensar em criatividade em geral, livre de restrições, para além das restrições individuais. Quando penso em Second Life e em criatividade, penso num ambiente ideal para a expressão criativa. Aqui dispomos das ferramentas necessárias para criar as coisas de que necessitamos para colaborar com os outros. Vamos criando um lugar onde cada vez mais indivíduos podem ser mais criativos e expressar o que não poderiam fazer de outra forma, o que tem um grande impacto na educação, abrindo novas fronteiras.

Troy McLuhan: Cresci numa quinta nas planícies de Saskatchewan. Cada Primavera eu e os meus irmãos tínhamos que aprender lentamente a lidar com as vacas que iríamos exibir na feira mais importante da região. Aprendíamos tudo isto com a prática, para que no dia da feira não falhássemos e não envergonhássemos a família. Por outras palavras, tínhamos que aprender com a prática para agradar ao público. Uma das ideias-chave de Second Life, é que fomenta essa motivação social. Cada uma das coisas que criamos fica disponível para “todo o mundo” ver. Como transporto essa carga para o contexto educativo? Dando aos alunos a perspectiva de que os projectos criativos que estão a fazer serão criticados, pelo menos, pela comunidade de Second Life. The International Spaceflight Museum foi uma experiência muito educativa para as pessoas envolvidas. (…) A motivação do reconhecimento do trabalho de cada um é a chave para a participação activa e voluntária no nosso espaço.

A “coisa” terminou mais ou menos por aqui, e o balanço da experiência foi bom (apesar do adiantado da hora). Fui dormir com as palavras na cabeça: Criatividade, Colaboração, Conversação, Conectividade, Comunidade e Complexidade! São muitos C’s seguidos, mas confirmaram algumas das ideias que tinha das minhas experiências lectivas em SL, e abriram novas perspectivas para o futuro na Universidade com Second Life.

2 comentários:

tiago borges disse...

Caro Paulo Frias

Como os últimos post se têm debruçado sobre criatividade e design aqui lhe deixo o link para o SL Award - 1st Annual Architecture & Design Competition in Second Life
http://www.sl-award.com

Não sou utilizador do Second Life. Por enquanto a minha "First Life" já me dá imenso trabalho.

Parabéns pelo blog!

Paulo Frias disse...

Obrigado, Tiago ;)