4.8.07

Monarquia e Second Life

Quase tudo tem servido de pretexto para falar de Second Life nos media!
Só ainda não percebi como os monárquicos portugueses ainda não descobriram o "furo": nunca imaginei usar tantas vezes seguidas a palavra real e suas derivações!
A vida real nunca foi tão badalada! Alô realeza, revistas cor de rosa e afins: Second Life é uma mina! Pesquisem no Google "vida real" e convençam-se! :)

2 comentários:

Cláudio Silva (Lx) disse...

Ainda há monárquicos em Portugal? Depois da política matrimonial dos monarcas em casarem com princesas castelhanas, ter dado no que deu após a morte do imbecil do Sebastião, em Álcacer-Quibir, não sei como é que ainda pode haver defensores desse regime? Até Afonso Henriques seria republicano se fosse vivo. Veja-se o caso da população de Lisboa já sobrecarregada de impostos e ainda ter de suportar a construção do Aqueduto das Águas Livres, enquanto toneladas de outro e de outras riquezas provinham do Brasil (e de outras paragens) para enriquecer os monarcas com coches, mosteiros, etc. Onde é que eu já vi este filme?! Viva a República Portucalense, viva a república em Espanha e viva a independência da Catalunha, do País Basco e da Galiza.

Nuno Castelo-Branco disse...

Esperteza de quem não lê uma linha, este Cláudio...
República em Espanha. Para quê? Para mais um desastre igual às duas que sucumbiram devido ao separatismo, prepotências e incompetência para gerir o conjunto das regiões?

Quanto a Portugal, ele que abra um compêndio da primária e perceberá facilmente a razão pela qual monarquia significa progresso. Olhe para o mapa da Europa e nem é preciso ir muito longe!