18.3.08

'Second Life arruinou a família'

O The Sun, na sua linha sensacionalista, publicou ontem um artigo com o título 'In the grip of a net sex epidemic'! Para além de alguns dados estatísticos, fez questão, como é hábito, de apresentar relatos de leitores com histórias daquelas que vendem muito...

Deidre Sanders ter-se-á baseado num inquérito elaborado pelo The Sun para escrever:
"Um em cada três inquiridos afirmou ter usado a web para iniciar relações sexuais - e 10% disse ter mantido relações sexuais com 11 ou mais parceiros que conheceu online."! E prossegui "No nosso inquérito a 4.000 leitores, cerca de 25% usaram a internet para enganar o parceiro, e 80% utiliza a net para ver pornografia online. (...) Mas há apenas más notícias. Quatro em cada cinco dos inquiridos acreditam que o uso da net teve um efeito positivo na sua vida sexual. Muitos afirmam mesmo que descobriram companheiros para relações de longa duração através de sites de encontros na net."

Como o The Sun faz questão de documentar estes 'estudos', a notícia aconselha a leitura de alguns depoimentos, entre eles o de Catherine Shilton, com o título 'Second Life arruinou a família'!
Nesta comevente história, Catherine conta: "Second Life arruinou a minha relação de dez anos e roubou o pai ao meu filho de cinco anos." Continua Deidre "Em Second Life, o vosso alter-ego digital pode viver uma vida de fantasia, fazer amigos e, como descobriu Catherine, iniciar uma relação. Esta trabalhadora de 47 anos de Wellingborough, Northants, afirma: "Depois de um par de semanas após a entrada (em SL) Keith (o marido) estava obcecado.
Eu reparei numa personagem feminina que estava sempre no monitor. Keith disse-me que era uma americana e que eram apenas amigos. Eu acreditei."
E continuou: "Começaram a ter cibersexo. Ele acordava às 4 da manhã todos os dias para entrar em SL até ir trabalhar às 7 horas. Mal chegava a casa, voltava para o PC até às 23:00. A nossa vida sexual alterou-se dramaticamente. (...)
Keith
chegou a sugerir que tivéssemos ambos um parceiro em Second Life para quebrar a normalidade da RL. Eu estava em estado de choque. (...)
Quatro meses depois de iniciar esta aventura, ele reservou um voo e foi conhecê-la. Era o fim da história, e eu disse-lhe para sair. Keith continua a ver o filho, mas a nossa relação está irremediavelmente perdida. Acredito sinceramente que se Keith não se tivesse envolvido nesse mundo de fantasia doentia, ainda hoje seríamos uma família feliz."!!!

Há histórias assim... tristes e que acabam mal. Os malévolos mundos virtuais dão uma ajuda e precipitam o inevitável. O The Sun, sempre aberto a estas 'coisas', não perde uma!
Bolas, ele há 'jornalistas' muito atentos...

3 comentários:

Miguel Yesheyev disse...

Pois é uma história infeliz, é. Apesar de tudo, não posso concordar com a senhora que perdeu o marido. Não foi a SL que a fez perder o marido. Foi apenas o catalizador.

Ana Lutetia disse...

Concordo, Miguel. Não é, de todo, culpa do SL mas sim das pessoas que, afinal, não tinham uma relação assim tão boa.

Estas histórias acontecem um pouco por todo o mundo. Não é só lá fora que se observa este fenómeno.

Frohiky Larsson disse...

E este fenomeno este smp associado a ambientes Chat....já dd o MS Chatou IRC....o que difere é mm o 3D no SL :)