16.10.08

A versão 'portuguesa' de Second Life

Wagner James Au, no seu conhecido blog New World Notes, procura colaboradores para tradução dos seus artigos para japonês, 'português' e alemão (pagas em Lindens).

A ideia, como diz o autor, é ter o blog nas dez línguas em que Second Life foi traduzido.

Mas o 'português' a que se refere Wagner James deve ser o mesmo que é usado na versão 'portuguesa' de Second Life: uma 'salada mista' entre expressões brasileiras e inglesas (americanas?), o que vai tornar a missão do tradutor no blog uma tarefa quase impossível de concretizar...

Aliás Wagner James faz mesmo questão de nos elucidar sobre a sua intenção. Ora vejam:



Nestas coisas, o melhor é mesmo não usar 'bandeirinhas', porque se o que conta são os potenciais 10 milhões de utilizadores vs. os potenciais 170 milhões, então na versão espanhola o Wagner vai ter de usar a bandeira mexicana!

foto: http://nwn.blog.com

3 comentários:

Andre Arantes disse...

Caro Paulo Frias li seu blog sobre a versão ‘portuguesa’ de Second Life e também fui ao sítio do SL e percebi de imediato qual a intenção do senhor Wagner James. Não acredito eu que ele queira seu sítio traduzido para o ‘português’ (seja lá qual for tua intenção com estes sinais) por esta ser uma língua culta e bela. Para nós que falamos o português ou ‘português’ (não sei qual) talvez seja. Entretanto, tenho eu cá uma quase certeza que ele quer atingir uma sociedade, independente de qual seja a língua que esta fale. Neste caso ele quer o mercado brasileiro, que porventura fala ‘português’ ou português, não o interessando a beleza lingüística desta ou daquela. Caso a história hoje fosse outra, ali estaria a bandeira brasileira e a tradução seria em tupi-guarani. Quer dizer que brasileiros sejam melhores que portugueses ou vice e versa? Não. Além do mais deixaste tua opinião sobre uma rixa entre portugueses com brasileiros, a qual está tornando-se descabida e desagradável, como teu comentário. O rapaz de SL deve estar perguntando-se o que significará teu comentário, visto que não existe esta disputa entre ingleses e estadounidenses. Estes respeitam-se mutuamente, lingüisticamente falando. Seria muito melhor que o senhor aceitasse o trabalho de tradutor desse sítio, com o português que lhe convém e o caso estaria resolvido. Tenho certeza que nenhum brasileiro faria queixa (lamúria) sobre tal acto ou ato. Poderíamos todos nós que falamos esta língua, a última flor do lácio, aproveitar para expor nossas culturas e diferenças sem desprezarmo-nos, uns aos outros. Tenho esperança que um dia possamos viver em paz lingüística. Saudações.

Paulo Frias disse...

Caro André,
A intenção do meu post não foi, de forma alguma, levantar qualquer tipo de disputa entre os portugueses falantes. Provavelmente o discurso não foi tão claro quanto deveria, mas a minha referência ao 'português' tem a ver com as confusões habituais dos americanos sobre a realidade e a história das outras nações: chamar à versão existente de SL uma versão 'portuguesa' só pode ser uma brincadeira, pois metade está em português e metade em inglês!
Para além disso, tentei também chamar a atenção para o uso das bandeiras, que, a meu ver, é errado, já que a nossa imensa língua é falada em todo o Mundo.
Sem qualquer tipo de desprezo pelos meus amigos do Brasil com quem contacto frequentemente também no SL, venho apenas confirmar a exigência de mais algum respeito da LL e afins pela língua portuguesa.
Provavelmente, Wagner James não vai sequer ouvir a opinião, mas, pelo menos, aqui a deixei.
SL é um bom exemplo de como pode ser desenvolvida a aceitação da diversidade cultural, e isso é um facto que me apraz reconhecer, pois todos aprendemos muito com essa partilha.
Abraço amigo.

Kadu disse...

Paulo Frias,
Primeiramente peço-lhe desculpas se fui severo em minha crítica. Se tua intenção é a de trazer à tona a falta de consideração dos estadunidenses (‘americanos’ é um pouco genérico, eu sou brasileiro e americano, como você é português e europeu) com outras línguas e história de outras nações, tens aqui o meu apoio. Sei muito bem do que falas. Moro em San Francisco e sou estudante na University of California-Berkeley. Poderia ser até cômico, se não fosse tão trágico, a falta de conhecimento geral e capacidade intelectual desta sociedade. De qualquer forma a língua portuguesa vem sendo mais e mais estudada e apreciada por aqui. Tanto pelos estadunidenses como por outras gentes que por aqui vivem. Acredito que brevemente a língua portuguesa passará a ser uma língua de referência internacional. Deveríamos unir-nos, os lusófonos, para melhor fotalecimento de nossa língua. E continue sempre atento a estes esculachos cometidos freqüentemente. Parabéns pelo blog.