22.1.08

Experiências Reais na Virtualidade

Em Novembro passado, a editorial da Universitat Oberta de Catalunya publicou 'La Transición a la Sociedad Red - La Era de la Información en Catalunya' de Manuel Castells, Imma Tubella, Teresa Sancho e Meritxell Roca.

O livro, orientado por Castells, constitui uma extensa reflexão sobre os dados obtidos na análise das práticas online por parte dos catalães nos últimos anos, e inscreve-se na actividade de investigação da UOC.

No seu capítulo 7, ponto 3, página 69, é abordado 'Second Life, experiências reais na virtualidade'. E começa assim:

"Second Life é um jogo online (tipo RPG) criado em 2003 e que percorre um mundo desenhado em 3D, estruturado em ilhas e no qual os residentes têm a possibilidade de viver uma vida virtual paralela à real. A Linden Lab, fundada por Philip Rosedale e Cory Ondrejka, é o laboratório onde se desenvolveu este jogo onde o sexo, o físico ou a profissão são as variáveis que cada utilizador pode escolher em função das suas preferências. Segundo a escolha, o personagem final (avatar) será diferente. A virtualidade de Second Life transcende, sem dúvida, os limites de muitos jogos online anteriores, já que, em primeiro lugar, tem uma moeda própria (o Linden Dólar). Isso permite, entre outras coisas, que os residentes possam alugar uma vivenda, abrir um negócio, ter vida social... já que os residentes pagam pelos serviços que recebem e cobram pelos que realizam. Existe a possibilidade de jogar sem pagar cotas, mas o leque de opções que o jogo oferece é muito limitado...."!!!

Este capítulo prossegue com algumas estatísticas recentes sobre a utilização de Second Life (embora sem dados sobre a comunidade catalã), mas a caracterização do 'jogo' fica-se por aqui...!

A bold ficam registadas as ideias dos autores sobre Second Life que, na minha opinião, ou não estão bem equacionadas, ou pura e simplesmente, são mentira!
Castells é daqueles sociólogos que mais me fascinam, mas quando folheei o livro há três dias numa livraria do bairro Raval em Barcelona, nem quis acreditar no que li sobre Second Life!
A falta de rigor ou o desconhecimento não são habituais em Castells... em Berkeley ou em Barcelona!

2 comentários:

Frohiky Larsson disse...

A palavra chave aqui..é jogo ;)

Ruben Pedro disse...

De facto não reflectiu muito no assunto... publicar um livro assim é obra!