9.1.08

Bancos de fora no 'reino da Linden Lab'...

O anúncio foi feito ontem no blog oficial de Second Life por Ken D Linden:

"Por favor leia isto se opera ou tranferiu L$ para um banco ou empresa finaceira in-world.
A partir de 22 de Janeiro de 2008, será proibído oferecer interesses ou qualquer retorno directo de um investimento (quer em L$ quer noutra moeda qualquer) a partir de um qualquer objecto, como uma ATM, existente em Second Life, sem fazer prova de um registo oficial aplicável por ordem governamental ou de uma instituição financeira. Estamos a implementar esta política depois de analisarmos queixas de 'residentes', actividades de bancos e a Lei, e estamos a fazê-lo para proteger os 'nossos Residentes' e a integridade da nossa economia.
(...)
Habitualmente, não nos intrometemos na conduta de 'residente-para-residente' - deixamos os 'residentes' decidirem como agir, como 'viver' ou como se divertirem em Second Life.
Mas esses 'bancos' (em referência ao colapso da Ginko Financial em Agosto 2007) trouxeram riscos substanciais a Second Life, e sentimos que é nosso dever avançar. Oferecendo taxas insustentáveis, (esses 'bancos') estão na sua maioria votados ao colapso, deixando os 'depositários' sem nada depois de investirem. Como esta actividade é crescente, começa a desestabilizar a economia virtual.
(...)

Não existe alternativa viável. Esses chamados 'bancos' não operam, nem são controlados nem assegurados pela Linden Lab, nem a nossa empresa consegue prever a sua falência. E a Linden Lab não é, nem pode começar a ser, uma entidade reguladora bancária.
Alguns podem argumentar que os 'residentes' que depositem L$ nesses 'bancos' sabem que assumem um grande risco.(...) Pode ser verdade. Mas, por todas as razões expostas, não podemos permitir que esta actividade continue.
Tal como fizemos em relação ao 'jogo', a partir de 22 de 2008 começaremos a remover todas as ATM's virtuais ou outros bjectos que facilitem as operações bancárias in-world, ou seja, a oferta de interesses ou taxas de retorno de L$ investidos ou depositados.
Não aplicaremos esta política às empresas que apresentem um registo ou licença de uma autoridade reguladora governamental, ou que apenas se dediquem a actividades de marketing ou educação, mas não aceitando pagamentos."

Pelos vistos a 'economia virtual' está em risco, e eu sem saber de nada :(
Os 1.3 milhões de dólares transaccionados diariamente através de Second Life afinal são um embuste: não enchem os cofres da Linden Lab (que os vê passar ao lado a rir irritantemente), mas as tocas das 'ratazanas' que 'esses bancos' aparentam ser!
E eu, um simples e inocente 'residente' pouco avisado para estas coisas das finanças, por 'ali' ando sujeito a cair nas garras 'desses' tubarões que deviam, no mínimo, pagar uma dízima a Rosedale por lhes permitir enganar os incautos e inocentes 'residentes'!
Felizmente para todos nós (inocentes 'residentes'), a Linden Lab, do alto da sua sabedoria, vai zelando pelos nossos interesses morais e financeiros.
Mandou os casinos e as roletas para a RL, e vai fazer o mesmo com 'esses bancos'.

Outros 'perigos' devem andar pelo metaverse, e a gente sem saber :(
Se calhar daqui a um tempo manda-se o 'sexo' para a RL, protegendo a moral dos 'residentes' e controlando a sua líbido.
Nessa altura, a Linden Lab vai dizer que não se pode assumir como uma entidade reguladora da moral e dos bons costumes, e que está a implementar esta política depois de analisar queixas de 'residentes', actividades de prostíbulos e indecências virtuais e a Lei, e que está a fazê-lo para proteger os 'seus Residentes' e a integridade moral do nosso mundo! (querem apostar?)

As iniciativas autocráticas e pouco democráticas da empresa de Rosedale dividem opiniões:
- as mais conservadoras, que tendencialmente analisam o metaverse pelas leis da RL, rejubilam com a impossibilidade de a Linden Lab ser um 'regulador', porque, com essa justificação, legitima a 'ditadura'!
- as mais liberais, mergulhadas na utopia de um mundo de sonhos em Second Life e habituadas a fazer o que lhes dá na real gana, irritam-se com prepotências e não se conformam com os atestados de menoridade passados pela Linden Lab!

O 'reinado' de Rosedale corre riscos, e muito maiores do que os riscos dos 'residentes' indefesos agora invocados como justificação para a eliminação dos 'bancos virtuais'.
É que, não tarda muito, e os inocentes 'residentes' começam a ouvir falar em open sims e coisas afins, e a Linden Lab vai então receber uma herança de milhões de objectos inúteis armazenados nos seus atascados servidores. E nem vão sequer saber para servem, porque os 'residentes' que lhes davam sentido foram-se embora... com o jogo, os bancos e o sexo!

7 comentários:

Rui Clary disse...

Não acrescento nem uma palavra, pois está reflectida neste post exctamente a minha opinião.

Aproveito para para mandar um "Olá" e parabéns ao blog, do qual eu leio todos os posts, pois está nos RSS do meu Reader.

M2life disse...

Depois do embuste do 'banco' Ginko e da sua declarada falência em Agosto de 2007, esta medida dos LL não é totalmente de estranhar...

PalUP Ling disse...

Um 'Olá' de volta, Rui ;)

Zeta disse...

Como sempre, é um prazer lêr o teu Blog. Ainda para mais a esta hora que o "outro mundo" fechou para obras!! :)
Sobre a matéria, penso o seguinte.

O exito de Second Life baseia-se na circunstância de ter nascido como um ambiente aberto, generalista, permitindo aos seus utilizadores completa liberdade creativa.
Em vez de caçar marcianos ou descobrir tesouros, foi dada aos residentes a oportunidade de utilizarem num ambiente metafísico as suas habilidades técnicas e interesses pessoais.
Permitindo a fusão / interacção entre a realidade virtual e a vida real.
Nasceu assim a primeira plataforma de comunicação baseada em realidade virtual, com vocação verdadeiramente globalizadora.

A tentação "controladora" é sempre muito grande.
Faz parte da natureza humana.
Independentemente das justificações que se invocam.

A "defesa dos incautos residentes" é a mais simplória. E serve para tudo.
A verdadeira razão estará no entanto ligada á defesa de Linden Labs de afrontamentos com interesses poderosos e lobbys do país onde está sediada.
O Jogo
A Banca
...e os processos judiciais que se querem evitar.

Resta saber até que ponto será possível manter um ambiente VR generalista, ao abrigo de todo o tipo de pressões desses... e outros interesses.

Este confronto desenhará o futuro da tecnologia como meio de comunicação.

Uma plataforma com as caracteristicas de SL, porque afrontando areas de actividade muito diversas, tenderá sempre a tornar-se uma coisa bastante "insípida, inodora e incolor" longe de qualquer polémica. Salvo as fabricadas... veja-se o exemplo das televisões actuais.

A resposta surgirá, mais tarde ou mais cedo, como bem referes, de outras plataformas concorrentes. Cada vêz com mais capacidade de manobra, á medida que SL vai excluindo fatias dos seus utilizadores.
Não é possível comer o bolo ás fatias e querer tê-lo inteiro, tudo ao mesmo tempo. :)

Mas penso que esse é o objectivo estratégico de Linden Labs no médio prazo.
Transformar SL numa enorme Teen Grid. Espartilhada por todo o tipo de regulamentos.

A verificação de idades que se encontra em "banho-maria", por culpa da inépcia da empresa a quem entregaram o negócio, poderá muito bem ser a próximo passo na defesa da... "nossa integridade" e dos sacrossantos valores morais que precisarão de defender... :))

Mas uma nova grelha para adultos está já prevista para a próxima primavera.
Com base na mesma tecnologia de SL e possível capacidade interoperativa.

Havera sempre alternativas.

...e agora fecho a torneira que o testamento já vai longo!!!

Paulo Frias disse...

Olá Zeta,

Depois do valioso 'testamento', resta-me acrescentar que só falta mesmo mexer na ´preservação' da moral instituída, e nas questões étnicas...
A 'West Coast' está cada vez mais conservadora. Em breve navegaremos na grid da 'West Coast of Europe' ;) a ver no que dá, lol

Anónimo disse...

O sexo não será proibido, mas apenas consentido depois da casamento. :-)

ronin disse...

Esta grande visão futurística foi minha...