3.6.08

Traços da personalidade dos humanos e dos seus avatares

Botgirl Questi publicou no seu blog os resultados do teste que realizou em Second Life sobre a personalidade dos humanos e dos seus respectivos avatares no metaverse (dados também disponíveis em Google Docs aqui).


Os parâmetros comparados nas várias fases do teste foram a Extroversão, o Método, a Estabilidade Emocional, a Acomodação e a Curiosidade.

Das médias finais obtidas, as maiores diferenças residem nas respostas dadas relativas à Extroversão (37% nos Humanos contra 67% nos Avatares) e à Curiosidade (67% nos Humanos contra 50% nos Avatares).

Wagner James, no seu blog, realça também essas diferenças e manifesta a sua estranheza pelo facto de, sendo o avatar mais extrovertido que o seu 'correspondente' humano (resultado mais do que previsível), se verificar que a curiosidade nos humanos é mais marcada do que a dos seus avatares. Segundo James, uma possível razão para o que parece ser um paradoxo (como é possível ser mais sociável e menos curioso?) prende-se com o facto de que os 'residentes' tendem a permanecer no seu círculo social in-world (uma vez encontrado o seu nicho), e rapidamente desenvolvem 'terceiros lugares' de onde raramente se afastam.

Sobre este aparente paradoxo de James, parece-me pertinente realçar a diferença entre alguns conceitos dados como adquiridos:
- o factor Extroversão não significa, necessariamente, Sociabilidade
- o parâmetro Curiosidade deve ser entendido à luz da Aprendizagem das formas de comunicação e de percepção do espaço, que, em Second Life, é menos polifacetada que na RL

À luz destas considerações, arriscaria analisar estes resultados parciais da seguinte forma:
- A Extroversão a que os inquiridos se referiram poderá dizer 'apenas' respeito à forma de expressão das ideias que adoptam através dos seus avatares, e não obrigatoriamente à vontade de interagir com um número crescente 'de residentes'. Nesse caso, a concretização da referida Extroversão deveria ser quantificada através das linguagens e comportamentos detectados, mesmo que em círculos sociais reduzidos.
- A Curiosidade pode estar directamente relacionada com a imponderabilidade da RL, reduzida em SL a uma 'escrita' menos aleatória, logo, mais previsível.

Muitas outras interpretações são possíveis, sendo que o trabalho da Botgirl é extremamente interessante e espera-se que prossiga no sentido de aprofundar o entendimento das personalidades (por exemplo em grupos de interesse mais específicos).

1 comentário:

Patou Dumont disse...

Muito interessante isso.