25.2.08

Imersão ou Realidade Aumentada?

A questão, assim colocada por Wagner James no seu blog, abre uma interessante reflexão sobre a auto-representação em Second Life.
A visão da 'imersão' traduz uma representação desligada da RL e 'mergulhada' num mundo virtual ficcionado.
A visão da 'realidade aumentada' configura um personagem virtual com uma correspondência 'real' e com informação 'sobreposta' ao avatar.
Cada um dos residentes pode rever-se numa destas visões, ou até em ambas, com avatares distintos.
Será a construção do 'layer' da RL sobre o avatar uma fatalidade?
Conseguiremos levar às últimas consequências a postura 'imersionista' num mundo de ficção eterna?
Será que a associação da informação real ao avatar destrói a 'magia' da experiência virtual?
Ou queremos que assim seja?

2 comentários:

RedLightSpecial disse...

Olá, olá!
Descobri hoje este blog.. para quem como eu se movimenta diariamente na Second Life, para quem como eu já "misturou" Sl e RL, estas questões fazem todo o sentido.
Não considero que seja uma fatalidade, contudo as consequências "imersionistas" faladas poderão ser dramáticas caso não haja uma consciencialização do que é na realidade a segunda vida, de quais os seus contornos, as suas limitações e infinitas possibilidades. De quais os impactos na primeira vida...
A informação real destroi em grande parte a magia da experiência virtual, disso não tenho dúvida. "been there.. done that" ...
Vejo a Sl como um bom filme, no qual somos actores principais. Por vezes rimos, por vezes choramos, por vezes o filme fica dias, meses, quem sabe uma vida inteira registado como uma experiência única, quase, quase real. Esse "quase, quase" é transposto quando nos deparamos com essa "imersão".
Eu, por maneira de ser e estar, quero que assim seja...
Bjs e continua! Excelente trabalho este teu aqui. Voltarei.

Zeta Sidran disse...

A questão da " imersão " no SL é de facto a nova alavanca que vai fazer abanar o mundo dos nossos conceitos sobre os limites daquilo que aceitamos psicológicamente como ... Realidade.
Legiões de utilizadores já deram por isso. E não podiam ter notado antes porque a ferramenta não existia.
Por " imersão " entendo a capacidade que nos é facultada desde agora, pela Realidade Virtual como nova tecnologia de comunicação, de podermos interagir com outras pessoas, totalmente e em tempo real no plano emocional, com base em eventos ocorridos num ambiente por ambos partilhado visualmente.
Num filme a imagem está lá. Mas a ligação emocional é unidireccional. Os personagens que vêmos não nos respondem. Nenhuma dúvida subsiste quanto à definição do que vimos como uma ficção.
Com esta nova tecnologia passamos ao degrau seguinte.
Temos a imagem, como num filme, e temos também a capacidade de nos envolvermos emocionalmente com outras pessoas que partilham essa imagem / ambiente. Sem necessidade material de qualquer proximidade espacial ou identificação com a nossa identidade física.
A definição clássica de ficção deixa de ser eficaz.
Porque o resultado desse dialogo emocional produz na nossa consciência efeitos reais, que a nossa " arquitectura " educacional racionalista se recusa admitir como... verdadeiros.
Daí a negação inicial dos "amores" no SL como uma coisa "verdadeira"...
... e a quantidade de "corações partidos" a que isso tem dado origem.
Quando, mais tarde ou mais cedo, infalívelmente a "fantasia " vem bater á nossa porta de RL.
É o tal capítulo da psicologia, ainda não escrito, e é disso que as pessoas têm mêdo.
Do desconhecido ... da " imersão ".
... e agora vou-me calar , porque este tema dá para encher várias sebentas.
:P
.
Abraços da Zeta "virtual".
.
PS. Ganda blogue o teu !!