1.7.09

Ainda sobre a 'segunda vida' dos australianos...

A polémica levantada pela notícia da alegada proibição de Second Life na Austrália, como se lia neste site e se previa neste, deu origem a reacções divergentes.

Por um lado, a Linden Lab, de uma forma para já oficiosa (!) (através de uma mensagem de Claudia Linden para uma mailing list), afirma "não ter recebido quaisquer indicações do governo australiano no sentido de bloquear Second Life" (...) garantindo a Linden Lab "aos Residentes Australianos que Second Life continua acessível e a funcionar na sua região. A Austrália tem sido e continuará a ser um mercado importante para a Linden Lab, e assumimos o compromisso de disponibilizar as melhores experiências possíveis em Second Life aos utilizadores nesse mercado", escreveu Claudia Linden.

Por outro lado, e na mesma mailing list, Gary Hayes escreve desde Sidney que "existem movimentos reais dos governos da China, Austrália e outros territórios da Australásia no sentido de filtrar, censurar e bloquear conteúdos da Internet. (...) Apesar de Second Life não ter sido oficialmente referido na Austrália, em princípio um conjunto de serviços online podem ser bloqueados se a mentalidade reguladora dos governos continuar...".

A atitude completamente abusiva, anti-democrática e retrógrada que se pode ler nas entrelinhas das intenções governamentais da China e da Austrália, fazem-nos pasmar... e pensar!

No caso de Second Life, um mundo virtual que tem como pressuposto a proximidade entre os cidadãos de todo o Mundo 'real' num ambiente em que se promove a construção conjunta do conhecimento, esta ameaça pode ser entendida por uma visão excessivamente 'legalista' sobre o acesso à 'grande rede' (pelo menos no caso australiano, onde se supõe que as razões não sejam de carácter político como na China).

O problema é que, também em Second Life, muita coisa tem mudado nos últimos dois anos graças, precisamente, ao mesmo tipo de atitudes paternalistas, legalistas e moralistas da Linden Lab, que está... na Califórnia!

1 comentário:

Andabata Mandelbrot disse...

Mais importante se torna criar um metaverso de servidores interligados, cada qual em seu local, qual Web, independentes.